Notícias

SERGIPE NO BRASIL RECEBE CINEMA PORTUGUÊS DO FESTIVAL DE CINEMA AVANCA 2016

Filmes portugueses que tiveram a sua estreia nas últimas edições do Festival Internacional de Cinema AVANCA, que este ano comemorou a sua 20ª edição, vão estar em exibição no Brasil.

Na cidade de Aracaju, decorre esta semana a 16ª edição do CURTA-SE, Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE 16), evento que tendo ganho especial relevo no espaço das curtas-metragens e no continente sul americano, teve este ano pela segunda vez uma mostra informativa da produção portuguesa selecionada de entre os filmes nomeados para a competição oficial do AVANCA.
Ali serão exibidos 5 filmes de curta duração e de diversos géneros que têm a particularidade de terem sido todos eles produzidos ou co-produzidos na região do festival Avanca.

A curtíssima obra de animação de Raquel Felgueiras “Galope”, que tem estado em exibição em diversos festivais europeus, transporta-nos pelo desenho para o início do cinema, dos jogos óticos e das primeiras representações rupestres do movimento.
Igualmente com animação, mas sobretudo com imensas crianças com ideias inesperadas sobre a felicidade, será exibido o filme que Gladys Mariotto filmou no Brasil, em São Tomé e Príncipe e em Portugal. Este documentário animado intitula-se “A felicidade mora aqui”.
“Aves, paixão europeia”, realizado por Lardyanne Pimentel, é um documentário com imagens impressionantes do mundo dos amantes de aves. Rodado em Portugal, mas também na Bélgica, Holanda e França, este filme foi desenvolvido no âmbito de um mestrado na Universidade de Aveiro.
Igualmente produzido no âmbito de um mestrado, a ficção “Retrato, sombra, grito” que Ana Luísa Vale desenvolveu na Escola Superior Artística do Porto, é uma obra questionante de identidades onde a fotografia tem um lugar relevante.
Por último “Cerveja, gravuras e cinema” é uma filme experimental realizada por Francisco Moura Relvas com a intervenção do jornalista Germano Campos, numa abordagem de homenagem póstuma a Fernando Mateus. Jornalista, cineasta e homem de cultura, Mateus foi sempre uma presença constante no Festival de Avanca, mas também em quase todos os grandes acontecimentos e eventos cinematográficos portugueses ao longo de décadas e sobretudo após os anos 80.

A exibição destes filmes no estado brasileiro de Sergipe, marca uma colaboração que reúne significativos festivais de cinema de três continentes (Europa, África e América), num contexto onde a língua portuguesa está particularmente presente.

2016-09-15